08 fevereiro, 2015

O show do intervalo no Super Bowl deste ano mostra como a iniciativa privada vai ser *sempre* melhor e mais eficiente do que as iniciativas estatais ou com controle estatal.

alt



O show do intervalo no Super Bowl deste ano mostra como a iniciativa privada vai ser *sempre* melhor e mais eficiente do que as iniciativas estatais ou com controle estatal.

Enquanto a abertura da Copa do Mundo 2014 no Brasil custou US$ 8 milhões aos pagadores de impostos brasileiros (via subsídios à multinacional de esportes chamada Fifa) para fazer um papelão de abertura (literalmente), o show do intervalo do Super Bowl custou os mesmos US$ 8 milhões, pagos pela venda de ingressos e patrocínios de empresas, para ter uma qualidade infinitamente superior. Detalhe: o alcance do show é tão grande que Kate Parry tocou *de graça* no evento.

E ainda tem gente por aí que pede mais estado...

alt 

alt


O show do intervalo no Super Bowl deste ano mostra como a iniciativa privada vai ser *sempre* melhor e mais eficiente do que as iniciativas estatais ou com controle estatal.


Saúde, Sorte e $uce$$o: Sempre.