17 março, 2015

Elis Regina E Jair Rodrigues - Pout Pourri - Dois Na Bossa, 1965 e Elis Regina por Moura Will


O morro não tem vez
E o que ele fez já foi demais
Mas olhem bem vocês
Quando derem vez ao morro
Toda a cidade vai cantar

Escravo no mundo em que estou
Escravo no reino e que sou
Mas acorrentado ninguém pode amar

Feio, não é bonito
O morro existe, mas pedem pra se acabar
Canta, mas canta triste
Porque tristeza é só o que se tem pra contar
Chora, mas chora rindo
Porque é valente e nunca se deixa quebrar
Ama, o morro ama
Amor bonito, amor aflito que pede outra história

Vamos, carioca, sai do teu sono devagar
O dia já vem vindo aí, o Sol já vai raiar
São Jorge o teu padrinho, te dê cana pra tomar
Xangô teu pai, te dê muitas mulheres para amar

Saravá Ogum
Mandinga da gente continua
Cadê o despacho pra acabar
Santo guerreiro da floresta
Se você não vem eu mesma vou
Brigar

A felicidade é como a pluma
Que o vento vai levando pelo ar
Brilha tão leve, mas tem a vida breve
Precisa que haja vento sem parar

Subi lá no morro só pra ver o que o negro tem
Pra cantar assim gostoso e fazer samba como ninguém
Mas eu subi lá no morro só pra ver o que é que o meu neguinho tem
Pra cantar assim gostoso e pra fazer samba como ninguém

Vou andar por aí
Perguntar por aí
Pra ver se eu encontro
A paz que perdi

A sorrir eu pretendo levar a vida
Pois chorando eu vi a mocidade perdida

Se alguém perguntar por mim
Diz que fui por aí
Levando um violão embaixo do braço
Em qualquer esquina, eu paro em qualquer botequim
Eu entro, e se houver motivo
É mais um samba que eu faço
Se quiserem saber se volto, diga que sim
Mas só depois que a saudade se afastar de mim

Acender a vela já é profissão
Quando não tem samba, tem desilusão
Acender as velas já é profissão
Quando não sou eu, é Nara Leão

Eu sou o samba
A voz do morro sou eu mesmo, sim senhor
Quero mostrar ao mundo que tenho valor
Eu sou o rei dos terreiros
Eu sou o samba
Sou natural daqui do Rio de Janeiro
Sou eu quem leva alegria
Para milhões de corações brasileiros

O morro não tem vez
E o que ele fez já foi demais
Mas olhem bem vocês
Quando derem vez ao morro
Toda a cidade vai cantar


--------------------------------------------------------------------------------------
O Morro Não Tem Vez (Tom Jobim, Vinícius De Moraes)
Esse Mundo É Meu (Sergio Ricardo, Ruy Guerra)
Feio Não É Bonito (Carlos Lyra, Gianfrancesco Guarnieri)
Samba Do Carioca (Carlos Lyra, Vinícius de Moraes)
Esse Mundo É Meu (Sergio Ricardo, Ruy Guerra)
A Felicidade (Tom Jobim, Vinícius De Moraes)
Samba De Negro (Roberto Correia, Sylvio Son)
Vou Andar Por Aí (Newton Chaves)
O Sol Nascerá (A sorrir) (Cartola, Elton Medeiros)
Diz Que Fui Por Aí (Zé Keti, Hortêncio Rocha)
Acender As Velas (Zé Keti)
A Voz Do Morro (Zé Keti)
--------------------------------------------------------------------------------------

Elis Regina E Jair Rodrigues - Pout Pourri - Dois Na Bossa, 1965 (com letra)

 

 
















 


Em 1965, o show 'DOIS NA BOSSA' foi registrado pelas lentes de Marinho Carlos de Souza Neto e do jovem Antonio Carlos Sessa Neto (Tonico), no salão do Clube Vitória, no Parque Moscoso. Tudo isto faz parte da história que, felizmente, foi preservada

José Tatagiba-Jornalista e Membro do Instituto Histórico e Geográfico do Espírito Santo — em Vitória.


Moura Wil
Moura Wil

 

Elis Regina por Moura Will

Saúde, Sorte e $uce$$o: Sempre.
http://br.groups.yahoo.com/group/Cidad3_ImprensaLivre/